NexB | Brasil: uma potência no mercado de energia renovável | M&A - Fusões e Aquisições, Consultoria Empresarial e Serviços Financeiros

Brasil: uma potência no mercado de energia renovável

Brasil: uma potência no mercado de energia renovável

Brasil: uma potência no mercado de energia renovável

O Brasil ocupa lugar de destaque no cenário mundial quando o assunto é o uso de energia renovável, sendo o terceiro em capacidade instalada.

Dados do Ministério de Minas e Energia apontam que as fonte renováveis no país tem uma participação de 46,1% na matriz energética.

Os números registrados no Brasil são realmente chamativos, já que se equivalem ao triplo do percentual mundial.

Mesmo com os problemas causados pela pandemia o setor de geração de energia renovável passou e passa ainda por uma dinâmica muito positiva.

O destaque no país é a energia eólica, que foi positivamente muito cobiçada no ano passado e neste ano, gerando 16 milhões de MW.

Esse volume representa um crescimento de 8% ao ano e o Brasil apresenta facilidades de captação da energia, principalmente nas regiões praianas do nordeste.

A referida facilidade atrai investidores estrangeiros em busca de commodities, projetos ambientais e geração de energia.

China, Japão, Estados Unidos e Alemanha são os principais interessados e os maiores compradores mundiais. Os principais alvos são as energias eólica, bioenergia e solar.

O professor Raymundo de Souza Neto, franqueado NexB em Rio Preto, fala das estimativas para as principais fontes de energia renovável brasileiras neste ano.

“Esperamos crescimento, principalmente na geração de energia eólica e solar, além investimentos no setor hidrelétrico e biomassa, representando 17% de aumento na produtividade”, afirma.

País ainda encontra desafios para impulsionar o crescimento do setor

Apesar das questões climáticas e geográficas favoráveis, o Brasil ainda encontra barreiras para alavancar o crescimento do setor de fontes de energia renovável.

Vale lembrar que o Brasil é o principal gerador de energia hidrelétrica (que é renovável), mas segue estagnado em regras governamentais de ampliação de produtividade.

“Existe um aumento significativo na demanda interna e externa por energia renovável, mas há dificuldades em atrair investidores, preço e tecnologia de ponta”, diz Raymundo.

O professor considera, no entanto, que o problema não afeta apenas o Brasil e que o mundo “engatinha nos investimentos efetivos em energia renovável”.

“O principal dificultador é a falta de fomento, redução de poluentes e valores inferiores, comparados à produção e distribuição de energia fóssil”, considera o professor.

Como solução para a questão, Raymundo cita o investimento em modelos de negócio para geração de distribuição de energia.

“A matriz energética brasileira é de fontes renováveis, sendo hidrelétricas, com 64%, eólica, com 9,5%, biomassa e biogás, com 8,9% e solar centralizada, com 1,4%”, diz.

A geração de energia renovável tem pelo menos 10 fontes que podem ser exploradas por meio de tecnologias diversas.

As principais são o sol, os ventos, a água dos rios e ondas do mar, o calor do interior da Terra e os materiais orgânicos.